Notícias

JULES SPINATSCH | THE AUTOMATED IMAGE


Imagem principal


"Drone: The Automates Image", é um projeto que traça a evolução das relações entre a camêra e o corpo humano. E irá visualizar como os artistas estão optando por usar os dispositivos automáticos em suas mais diversas formas de produção.

Drones estendem a capacidade do corpo no ato de olhar. O olho tem uma posição fixa sobre o corpo humano, a visão é limitada em longas distâncias, e não funciona bem em condições de luminozidade reduzida. Drones podem viajar para lugares de difícil acesso atravez do controle remoto, eles podem ver em todos os momentos, mesmo com a luz limitada. Eles podem ser controlador remotamente à longas distânicas, podem funcionar automaticamente, possuem sensores artificiais, e também transmitir uma sensação de que eles têm uma intenção própria.

Drones são os robôs que enxergam. Ao longo dos últimos 40 anos, a câmera tem assumido algumas das mesmas características, mesmo na medida em que a câmera agora tenha vida própria e funcione mais como um computador. Não existe a necessidade de olhar mais pelo visor, pois todos os cáuculos para a exposição e foco são preenchidos automaticamente. Você pode configurar a câmera para tirar fotos sem a necessidade de estar por trás da câmera. Com detectores de movimento, controle remotos, webcams, Google Street View, e para o desenvolvimento da robótica, a câmera pode funcionar sem a intervenção humana.

Para a sua 13º edição, Le Mois de la Photo 
à Montréal convidou o renomado curador brtânico Paul Wombell para desenvolver um programa de exposição em torno de seu tema.

Leia na íntegra